Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Vigisolo

A humanidade está sujeita a riscos decorrentes da exposição a inúmeros agentes potencialmente tóxicos. A poluição e degradação ambiental, a industrialização acelerada e o uso de novos métodos tecnológicos na agricultura são os principais fatores que promovem essa exposição. Estes aspectos estão relacionados ao processo da modernização e suas consequências.

A contaminação ambiental por substâncias químicas e resíduos perigosos está associada não apenas ao modelo de desenvolvimento industrial, mas também a questões relevantes como o controle e normas relacionadas às instalações industriais, métodos de tratamento e disposição final de resíduos perigosos e abandono de plantas industriais. Não menos importante, os aspectos da política de desenvolvimento econômico também são fontes que contribuem para a exposição humana a agentes tóxicos.

O contato humano a esses agentes tóxicos através do solo, das águas superficiais e subterrâneas, do ar e dos alimentos contaminados, pode ocasionar riscos à saúde pública. Desta maneira, foram selecionadas substâncias prioritárias, em virtude do potencial dano à saúde humana quanto ao risco de morbidade e mortalidade. O mercúrio, o amianto, o chumbo, o benzeno e os agrotóxicos são as substâncias alvo das ações da Vigilância em Saúde.

O Vigisolo é a vigilância em saúde que tem como objetivo identificar populações expostas ou sob risco de exposição a contaminantes químicos e a solos contaminados. O modelo de atuação esta pautado em duas etapas que norteiam as ações: proativa e reativa. 

A conduta proativa está relacionada à antecipação ao problema, voltada para a prevenção de impactos negativos, além da promoção da saúde da população potencialmente exposta. Já a conduta reativa está relacionada a uma situação problema instalada com consequências manifestadas sendo desencadeada por denúncia da população ou por mudança sensível no padrão de morbimortalidade. No decorrer de todo o fluxo de atuação é necessária à articulação intra e intersetorial para a qualificação dos dados, definição e implementação de ações de curto, médio e longo prazo.

Nessa mesma linha, o Vigisolo - RS tem como principais focos de atuação a vigilância em saúde nas áreas urbanas e industriais contaminadas e a exposição humana aos agrotóxicos. Ao trabalhar com agentes tóxicos e nas suas inter-relações entre o homem e o ambiente, o programa desempenha ações integradas de prevenção, promoção e assistência à saúde de populações expostas a esses agentes, com intuito de reduzir os impactos à saúde humana e ambiental.

Abaixo segue um Roteiro de campo, elaborado pela equipe Vigisolo, composto por uma lista dos principais itens a serem observados em vistorias e atendimentos de denúncias envolvendo uso indiscriminado de agrotóxicos.

Roteiro de campo (.pdf 206,40 KBytes)

Centro Estadual de Vigilância em Saúde