Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Malária

A malária, doença infecciosa febril causada por protozoário do gênero Plasmodium, é uma zoonose de distribuição mundial, sendo mais comum nos países tropicais e subtropicais. No Brasil é endêmica nos estados da Amazônia Legal (Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima, e Tocantins).

Ultimamente, o Programa Nacional de Prevenção e Controle da Malária (PNCM) têm ampliado o sistema de vigilância sobre a área extra-amazônica, devido a registros de surtos controlados em estados como Minas Gerais, Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Mato Grosso do Sul, Ceará, Piauí e Espírito Santo, Pernambuco, entre outros. O Rio Grande do Sul não é área de transmissão para a malária e os casos atendidos são de indivíduos que estiveram em estados brasileiros da área de transmissão e em menor número, casos contraídos em outros países.

Áreas de transmissão de Malária
Áreas de transmissão de Malária - Foto: Ministério da Saúde

A malária humana é uma doença, que se não for tratada, poderá evoluir rapidamente para a forma grave e complicada levando a óbito.

É transmitida ao ser humano através da picada do mosquito fêmea Anopheles infectada pelo Plasmodium.

Apresenta quadro clínico que vai de leve, moderado a grave, dependendo da quantidade e da espécie do parasito, pode ser confundida com outras doenças com sintomas semelhantes, tais como: febre amarela, leptospirose, dengue, influenza e outros processos febris.

O período de incubação da malária varia de acordo com a espécie de plasmódio. Para P. falciparum, de 8 a 12 dias; P. vivax, 13 a 17; e P. malariae, 18 a 30 dias.

Centro Estadual de Vigilância em Saúde