Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Secretaria da Saúde
Início do conteúdo

Orientações a profissionais de saúde

No Rio Grande do Sul, assim como no Brasil, a vigilância da rubéola e do sarampo é realizada de forma integrada como vigilância de doenças exantemáticas, sendo ambas de notificação compulsória imediata em até 24 horas.

  • Caso Suspeito de Sarampo: toda pessoa que apresentar febre, exantema e tosse ou coriza ou conjuntivite, independentemente de idade ou situação vacinal.
  • Caso Suspeito de Rubéola: toda pessoa que apresentar febre, exantema e linfadenopatia, independentemente de idade ou situação vacinal.
  • Caso Suspeito de Síndrome de Rubéola Congênita: todo recém-nascido cuja mãe foi caso suspeito ou confirmado de rubéola.

     Todo recém-nascido cuja mãe foi contato de caso confirmado de rubéola, durante a gestação.

    ▪ Toda criança, até 12 meses de idade, que apresente sinais clínicos compatíveis com infecção congênita pelo vírus da rubéola, independentemente da história materna.

Arquivos anexos

Centro Estadual de Vigilância em Saúde