Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Secretaria da Saúde
Início do conteúdo

Diagnóstico e Tratamento

O diagnóstico é realizado por isolamento do vírus amarílico e detecção de antígeno em amostras de sangue ou tecido e por sorologia. Também podem ser realizados exames de histopatologia em tecidos pos morten, feito pelo LACEN/RS.

A coleta do material deve ser feita a partir do 9º dia do início dos sintomas. Atualmente há disponibilidade para realização de isolamento viral e RT-PCR e sorologia IgM.

O tratamento é apenas sintomático, com cuidadosa assistência ao paciente que, sob hospitalização, deve permanecer em repouso, com reposição de líquidos e das perdas sanguíneas, quando indicado. Nas formas graves, o paciente deve ser atendido em Unidade de Terapia Intensiva, com vista a reduzir as complicações e o risco de óbito. Salicilatos devem ser evitados (AAS e Aspirina), já que seu uso pode favorecer o aparecimento de manifestações hemorrágicas. O médico deve estar alerta para quaisquer indicações de um agravamento do quadro clínico.

Arquivos anexos

Centro Estadual de Vigilância em Saúde